(function(d, s, id) { var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0]; if (d.getElementById(id)) return; js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "//connect.facebook.net/pt_BR/all.js#xfbml=1"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk')); class="archive tag tag-the-velociraptors tag-189 unknown">

Desova: Galgos vs The Velociraptors (Split/2014)

Velociraptors_Galgos

O trio de Mossoró, The Velociraptors, foi responsável por um dos grandes discos nacionais de 2013, o álbum “A New State of Mind”. Pois bem, os caras não perderam tempo e já no início de 2014 soltam um novo trampo. Trata-se de um split com o também trio, só que gaúcho, Galgos. Interessante como duas bandas tão distantes geograficamente possuem tanta semelhaça, como o número de integrantes e as influências. Fato que proporcionou uma certa unidade no split. O som aqui é altamente influenciado pelo Proto Punk de Stooges e MC5, passando pela Austrália de nomes como The Saints e Radio Birdman além da geração pós 90 que ressuscitou o rock n’ roll visceral que teve o Hellacopters como principal nome. Mas não pense que as duas bandas são idênticas. Loge disso, cada uma tem a sua identidade. São duas faixas de cada trio, sendo que a surpresa maior fica pra música “A Plenos Pulmões” dos Raptors com letra em português. Enfim, um disquinho curto, mas muito bacana. Pra ouvir ou baixar clique aqui.

Os 10 melhores discos nacionais de 2013 segundo Gralha Rocka

Rino_Foto

01 Rinoceronte – O Instinto
Alguns podem achar que o trio de Santa Maria/RS tirou o pé do acelerador. Eu particularmente chamo isso de evolução natural. Menos pesado e melhor produzido que o álbum anterior, “O Instinto” é um disco cheio de detalhes e nuances. É visceral mas contêm certa classe. É liricamente instigante. É piscodélico. Com ele provou-se que o termo stoner rock é pouco pros caras. Baixe aqui.

02 Sepultura – The Mediator Between Head and Hands Must Be The Heart
Um dos álbuns mais pesados da banda. Título longo, temas inspirados no filme Metrópolis, clássico sci-fi de 1927. Trampo original da capa produzido em carvão. Cover da Nação Zumbi com Andreas no vocal. Enfim, o caminho mais fácil não é o escolhido pelo Sepultura. Eles poderiam fazer um típico disco de thrash metal oitentista com todos os seus clichês, mas não, em “Mediator” vemos uma banda que aponta pro futuro.

03 365 – O Destino
Tá, não tem o Finho no vocal, mas o Neto Trindade que já tocou baixo com os caras no final dos anos 80, assumiu o microfone e fez um bom trabalho. O som é aquele rock urbano com cara de São Paulo que o 365 sempre fez com exímia competência. Destaque pra faixa título e para “O Tempo” que presta uma homenagem à velha guarda do punk paulista. Ouça aqui.

04 FireFriend – Witch Tales
Vocal feminino, instrumental denso. Ora calmo, ora explosivo. “Witch Tales” traz referências do rock alternativo dos 80 e 90 mas com um pé na psicodelia sessentista. Um álbum belo, literalmente. Baixe aqui.

05 Ademir Assunção & banda Fracasso da Raça – Viralatas de Côrdoba
Junte um poeta, dos bons, com uma banda, das boas. O resultado é esse “Viralatas de Côrdoba”. Rock, blues, jazz, baladas cortantes. Sons que emolduram, se encaixam e se fundem à poesia dilacerante de Assunção. Não é só música. É muito mais. Ouça aqui.

06 The Velociraptors – A New State of Mind
Os Raptors são de Mossoró/RN, cidade que tem revelado ótimas bandas. Três caras que pegaram os Stooges e o MC5 e levaram para uma temporada de intercâmbio com The Saints e Radio Birdman na Austrália. Definições delirantes à parte, “A New State of Mind” é um discão de rock n’ roll. Baixe aqui.

07 Mundo Livre S.A. Vs Nação Zumbi
Por que um disco de versões está em uma lista de melhores do ano? Porque esse disco é uma espécie de tributo ao Manguebeat, movimento que fez uma verdadeira revolução na cultura e na música brasileira no início dos anos 90. Porque tem como protagonistas as duas principais bandas do movimento e porque essas bandas desconstruíram as músicas originais fazendo com que as versões soassem como novas músicas. Discão.

08 Leptospirose – Tatuagem de Coqueiro
Uma das grandes bandas de hardcore do Brasil. Acho que todos já sabiam o que viria em “Tatuagem de Coqueiro”. Leptospirose é Leptospirose. Porradaria com boas sacadas. O melhor título e a melhor capa, trampo do Daniel Etê.

09 Hellbenders – Brand New Fear
Uma atualização do hardão setentista que tanto amamos. Alguns chamam isso de stoner. Goiânia já tem certa tradição nesse tipo de som. Os Hellbenders são de lá. E esse disco é fóda. Baixe aqui.

10 Anjo Gabriel – Lucifer Rising
Em seu segundo álbum, o Anjo Gabriel compôs uma trilha alternativa para o filme “Lucifer Rising” do cineasta norte-americano Kenneth Anger. Detalhe: a trilha original é de autoria de Jimmy Page. Sonzeira instrumental da melhor qualidade. Hard viajandão, prog, jazz fusion. A versão em vinil é lindona.

Desova: The Velociraptors – A New State of Mind (2013)

Velociraptors_Full

A cidade de Mossoró no Rio Grande do Norte tem despontado como um pólo produtor de rock n’ roll. Vem de lá o excelente Monster Coyote e várias outras bandas de qualidade. Uma delas é o Velociraptors que está lançando o álbum “A New State of Mind”. O trio tá na estrada desde 2008 e já havia resgistrado um EP, “Wild Ambitions”, em 2010. O som dos caras é rock vísceral, tipo aquele extraído das entranhas que MC5 e Stooges deixaram pra posteridade no final dos 60, início dos 70. Coloque no pacote as bandas proto punks australianas e todo aquele frescor rock tipo Radio Birdman e The Saints. Em “A New State of Mind” os Velociraptors acertam em tudo, a começar pela capa de encaixe perfeito com o som. O play conta com 10 faixas e é tarefa árdua escolher as melhores, fica ao gosto do freguês. Curiosamente, o timbre do vocalista lembra muito os vocais do Chuck Hipolitho na época em que compunha o Forgotten Boys. Destaque também pra produção enxuta, totalmente acertada. Além do disco full, os caras estão relançando o EP e tudo pode ser baixado na faixa no Bandcamp. Pra quem curte rock em seu estado primitivo fica ae a dica. Download ou streaming aqui.