(function(d, s, id) { var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0]; if (d.getElementById(id)) return; js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = "//connect.facebook.net/pt_BR/all.js#xfbml=1"; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs); }(document, 'script', 'facebook-jssdk')); class="archive tag tag-quarto-negro tag-311 unknown">

Os 10 melhores discos nacionais de 2015 segundo Gralha Rocka

Cidadao_Instigado02

01 – Cidadão Instigado – Fortaleza
Fernando Catatau é um dos principais nomes do rock brasileiro pós 2000. Produtor, arranjador, compositor e excepcional guitarrista, Catatau à frente do Cidadão Instigado vem lançando bons discos há tempos. Cada qual com suas características bem definidas e distintas. Neste novo álbum a banda se aproximou mais do hard e do progressivo setentista. É um disco mais pesado, mais distorcido, porém sem abrir mão de elementos que já estão enraizados na sonoridade do grupo, como a psicodelia e a música brega. As timbragens alcançadas pela banda em “Fortaleza” são dignas de contemplação. Download e audição aqui.

02 – La Carne – Volume 5
O La Carne chega aos 20 anos com um disco forte. “Volume 5” é encorpado. Uma xícara de café amargo, tomado bem cedo em uma padaria de bairro no caos da cidade. Pra despertar. A poesia urbana da banda nunca foi tão pessimista. “Viver é difícil” canta Linari em “Água Pesada” (sim, mesmo nome da banda parceira). Sinal dos tempos? Talvez. Mas no fundo estão sendo apenas La Carne. Deixando fluir. Disponível aqui.

03 – Quarto Negro – Amor Violento
O duo Quarto Negro, composto pelo ex-Ludovic Eduardo Praça juntamente com Thiago Klein se saiu totalmente vitorioso em relação à questão: “o que esperamos da música?”. Sensações é claro. Uma música que não transmite sensações não é nada. E “Amor Violento” transmite muitas. É um disco climático, capaz de gelar em “Filhos do Frio”, pra ficar em um único exemplo. Repleto de texturas e nuances, é um álbum que ativa os sentidos. Ouça aqui.

04 – Atalhos – Onde a Gente Morre
Folk rock que transborda sentimento. Em “Onde a Gente Morre” o Atalhos mostra uma grande preocupação com os detalhes. E funcionou. Belos arranjos e letras, referencias literárias, mixagem gringa. O resultado é um álbum de múltiplas qualidades já demonstradas na trinca de abertura com “Sozinho Contra Todos”, “É Só o Amor no Fim” e “José, Fiquei Sem Saída”. Físico saiu em vinil duplo lindão. Ouça aqui.

05 – UdJC – Volume Morto
A UdJC pulou a fase do cover, comum no início de muitas bandas. Já começaram compondo e imprimindo uma identidade muito própria. Prestes a completar 10 anos eles finalmente chegaram ao primeiro álbum. Parte do repertório data dos primórdios do grupo. Canções que não envelheceram e agora ganharam o devido registro com uma produção arrojada. “Volume Morto” é um mergulho no universo do animal “humano”. Relacionamentos, neuras, loucura, sentimentos, estados alterados da mente. Nada escapa. Discão. Ouça aqui.

06 – Messias Elétrico – Messias Elétrico II
A cena alagoana tem revelado ótimas bandas. O Messias Elétrico é uma delas. O grupo busca na fonte do rock setentista sua inspiração, porém sem soar retrô em demasia. É uma banda atual. Neste segundo álbum a adição da vocalista Lillian Lessa (Necro) trouxe mais frescor e versatilidade ao som. Um bom trabalho de teclas, timbres e vocais garantem uma audição prazerosa pra quem aprecia o passado e o presente. Tem o selo de qualidade Baratos Afins. Ouça aqui.

07 – Aeromoças e Tenistas Russas – Positrônico
O Aeromoças se desprendeu de vez da sua sonoridade inicial com Saxofone. Mais suingada. Positrônico é a consolidação do formato atual do grupo. Inspirado em Isaac Asimov, o disco é uma viagem instrumental sci-fi de altíssima qualidade. Acertaram no conceito, no trabalho gráfico. Tudo encaixou perfeito. Disponível aqui.

08 – Garage Fuzz – Fast Relief
Com 25 anos de atividade, o Garage Fuzz foi lapidando seu som com o transcorrer do tempo. O hardcore da banda foi incorporando elementos do rock alternativo e até metal. “Fast Relief” é uma sequência natural dos trabalhos anteriores. Um disco elaborado e bem feito. Destaque pra linda capa. A mais bela da banda até então. Ouça aqui.

09 – Água Pesada – Troika
Na atual conjectura em que se consome música, o Água Pesada tem optado por lançar EPs. “Troika” é o mais recente fruto desta estratégia. Se no início eles faziam um stoner com pinceladas viajantes, hoje o lado lisérgico está muito mais presente. “Enigma do Esquecimento”, uma das melhores composições da banda, comprova isso. E se no álbum do La Carne há uma música chamada “Água Pesada”, aqui há uma versão de “Um brinde ao Iggy Pop” da banda de Osasco. Ouça aqui.

10 – Forgotten Boys – Outside of Society
O disco de interprete do Forgotten. “Outside of Society” foi uma indicação do produtor Roy Cicala, falecido em 2014. Com o álbum o grupo homenageou o produtor e várias bandas que os inspiraram e influenciaram. Stooges, MC5, Johnny Thunders, T. Rex, Patti Smith, Stones, entre outros. Foi lançado pelo selo argentino Rastrilho Records em edição limitada numerada à mão. Versões personalíssimas de puro rock n’ roll. Uns sons aqui.